1 de nov de 2008

Entrevista Revista Proclamar

RP - Fale quem é Samuel Vitalino

SV - Pecador que pela graça de Deus foi regenerado pelo Senhor Jesus. Sirvo ao Senhor como Pastor na 1ª Igreja Presbiteriana de Teresina. Sou casado com a linda Patrícia e temos dois filhos da Aliança: Judah (4) e Nathan (1).

RP - Como e quando você decidiu ser Pastor?

SV - Meu pai era advogado e eu resolvi seguir os seus passos. Muito cedo comecei a advogar e na militância jurídica mudei-me para Brasília. Fui Consultor Jurídico do Itamaraty e dirigia um Escritório em Brasília.
Lá na Capital Federal senti e entendi o chamado de Deus. De fato o chamado é algo subjetivo demais, e só pude ter certeza que era a vontade de Deus, quando senti muita paz ao deixar a carreira jurídica para outros companheiros e me matricular no Seminário para dar seguimento aos estudos teológicos
.

RP - Foi uma decisão difícil, deixar a profissão de Advogado promissor, para se tornar pastor?

SV - Mais difícil foi a reação de alguns amigos e familiares. Mas Deus deu forças e tem me sustentado até aqui. Não poderia estar mais feliz na advocacia, quanto estou no Serviço do nosso Advogado, Jesus Cristo.

RP - O Senhor é Pastor da Igreja Presbiteriana, e vice-presidente do Sínodo do Piauí. Fale-nos um pouco da igreja?

SV - A Igreja Presbiteriana é fruto da Reforma Protestante do Século XVI. John Knox, na Escócia, deu início à denominação que resgatou (reformou) a Igreja nos moldes primitivos. Em Atos 15 a Igreja tinha o sistema de governo Presbiteriano (ou seja: nem era episcopal – governada por um homem só; nem Congregacional – onde toda a Congregação decide matérias de fé), as questões eram levadas aos Presbíteros que representavam a comunidade.
A Igreja difundiu-se pelo mundo e, da América do Norte, chegou ao Brasil há exatos 149 anos (no próximo ano faremos 150 anos de IPB) pelo Missionário americano Ashbell Green Simonton.
No Piauí a Igreja Presbiteriana também é centenária. Há registros de que o Dr. Butler (Século XIX) fundou a Congregação, que foi organizada em Igreja há exatos 72 anos. Essa Igreja é onde pastoreio, na esquina da Rua São Pedro com a Sete de Setembro.
Temos aqui também um Seminário na Piçarreira onde a excelência teológica e a piedade são ingredientes do dia a dia dos estudantes
.

RP - A Igreja Presbiteriana É Calvinista?

SV - Sim. Calvino foi um teólogo muito lúcido. Genebra, pela influência de Calvino, mesmo numa época de trevas na Europa, foi palco de grandes transformações que mudaram a história do Continente até o dia de hoje.
João Calvino é muito mal compreendido pela academia secular, e a razão disso é porque são lidas coisas que os inimigos escreveram sobre Calvino; mas quando as pessoas param para ler o que o próprio Calvino escreveu e fez, vão se deparar com um servo dedicado do Senhor, um homem preocupado e atuante nas causas sociais, na educação, na teologia e na evangelização dos povos.
Sim, respondendo a sua pergunta, somos Calvinistas por convicção
.

RP - Quais os seus projetos?

SV - A IPB está em todos os Estados da Federação, mas somos muito pequenos aqui no Piauí. Temos aproximadamente 10 Igrejas em Teresina, além de outras Congregações, mas nosso objetivo é difundir a fé em Cristo segundo a Escritura Sagrada nos ensina.
Nossa Igreja pretende plantar Igrejas em todas as cidades do Estado em médio prazo e, brevemente, se o Senhor permitir, continuar alguns trabalhos sociais e montar uma Escola Confessional que possa servir à sociedade como a Escola de Genebra serviu à Europa
.

RP - Qual a sua visão pastoral?

SV - Essa pergunta é bem ampla. Creio que o Pastor precisa dedicar boa parte do seu tempo no preparo dos sermões e à oração. A pregação da Palavra e a oração são as coisas principais. Creio que muitos se perdem em eventos e outras coisas, mas não tem tempo de estudar a Bíblia e terminam pregando sua própria mensagem em vez da mensagem de Deus através da Escritura e isso é um erro fatal.
Mas também creio que o Pastor precisa cuidar do seu rebanho. Pastoreá-lo. Orar com e pelas ovelhas, visitar, aconselhar, chorar com os que choram; alegrar-se com os que se alegram. O sistema Presbiteriano permite que o Pastor divida essa responsabilidade com os Presbíteros da Igreja. Isso é um lenitivo para nós
.

RP - Pastor, Advogado e poeta como consegue unir tantas tarefas?

SV - (risos) Eu não exerço mais a advocacia. A poesia é coisa de momento, não paro para escrever. Aquilo que eu dedico meu tempo é mesmo no pastoreio e no estudo da Palavra.

RP - O Senhor esta fazendo mestrado? Qual vai ser sua tese?

SV - A Suficiência de Cristo! Creio que muitos não percebam a urgente necessidade desse tema, mas eu creio que Cristo é suficiente em todas as áreas de nossa vida. Quando permitimos que a nossa imaginação criativa e vontade pessoal atuem em matéria de fé e de prática na Igreja e na doutrina, corremos pouco risco de acertar, pois o nosso coração é pecaminoso.
Creio que falar sobre a Suficiência de Cristo é fácil e corriqueiro, minha tese é mostrar que esse preceito não tem sido vivido na prática, e aí eu proponho soluções
.

RP - Porque o Senhor escolheu morar em Teresina?

SV - Eu vim pregar na despedida do Pastor Paulo Brasil da Igreja. Após a mensagem os Presbíteros se reuniram comigo e me fizeram o convite. Voltei a Triunfo-PE, onde trabalhei num Projeto de Plantação de Igrejas no Sertão de Pernambuco, levamos um Pastor para me substituir lá e aceitei o convite dos irmãos aqui de Teresina, onde estou desde março de 2007.
Estou Muito feliz em minha Igreja. Amo cada uma das minhas ovelhas como se fossem verdadeiros filhos e me sinto também amado pela Igreja. Temos aprendido muito reciprocamente. Você deveria conhecer a nossa Igreja, temos um culto muito simples, centralizado em Cristo e na Palavra, e depois temos um cafezinho e um momento muito gostoso de comunhão do Senhor
.

RP - Os pastores mudam a cabeça (forma de pensar) das pessoas?

SV - (pausa para pensar) Infelizmente, sim!
Deixe-me explicar. As pessoas são muito facilmente levadas por líderes. O Apóstolo Paulo disse algumas coisas interessantes. Por exemplo, ele disse para as pessoas conhecerem a Palavra de Deus para não serem levadas de um lado para o outro por qualquer vento de doutrina dos homens.
Em outra passagem, em vez de dizer aos Gálatas que ele era uma autoridade inquestionável, ele disse logo no início da carta que se ele pregasse um evangelho diferente do que já havia sido anunciado, que ele, ou até um anjo do céu fosse anátema por aquilo.
Sendo assim, creio que a autoridade dos pastores é zero dissociada da Palavra de Deus. Isso é segurança para a Igreja e para a mensagem de Cristo. Não foram os Bereanos conhecidos por pensar assim?


RP - Deixe uma mensagem para os leitores

SV - Aos leitores crentes eu desafio a uma profundidade maior com a Escritura. Ao nosso redor temos pseudo-crentes envergonhando o evangelho de diversas formas. Vivendo de forma impiedosa e impura, alguns se dizem crentes, mas são atores pornográficos, outros se denominam até apóstolos, mas são mentirosos e ladrões.
Creio que precisamos parar e pensar. É esse o Cristianismo que queremos viver? É assim que desejamos ser sal da terra e luz do mundo? Não pode ser assim.
O desafio é a uma vida mais pura e pautada pela Escritura, um culto mais puro e pautado pela Escritura, uma doutrina mais pura e pautada pela Escritura.
Quem sabe não podemos iniciar uma nova Reforma Protestante com a Escritura como guia e o joelho em terra a partir aqui do Piauí?
Aos leitores descrentes eu apenas digo que crer numa caricatura de Cristo é diferente de conhecer a verdade que liberta. Você é pecador e inimigo de Cristo, e se não se arrepender dos seus pecados, a leitura dessas palavras serão usadas ainda mais contra você no dia do juízo.
Converta-se ao Senhor e tenha a sua vida transformada por ele. Faça isso ainda hoje!

Nenhum comentário: