21 de ago de 2009

Doutrina e Vida Cristã


Há poucos dias fui convidado para falar num Congresso sobre Lei e Graça na cidade de Santarém-PA. O Pastor Leonardo, querido amigo, combinou comigo que ele falaria sobre Graça no Antigo Testamento e eu sobre Lei no Novo Testamento. Foi aí que resolvi seguir o Sermão do Monte para esse fim.

Devo confessar que esse retorno ao Sermão de Jesus foi assustador. No final, as multidões estavam maravilhadas da sua doutrina (Mateus 7:28), mas quando lemos as palavras de Jesus, vemos a absoluta praticidade dessa doutrina.

Falando aos seus discípulos, havia uma imensa multidão que o seguia para ouvir suas palavras por pura curiosidade; afinal, ele ficou famoso por fazer coisas impressionantes como curas, milagres e exorcismos (Mateus 4:23-25). Jesus, então, apresenta sua proposta paradoxal de felicidade. As pessoas em todas as épocas, inclusive em nossa própria geração, imaginam que ser feliz é ser rico, sorridente, ter fama, fartura e ser cheio dos prazeres desse mundo; mas, Jesus propõe o contrário: bem-aventurado é o humilde de espírito, o que chora, o manso, o que tem fome e sede justiça, etc. (Mateus 5:3-9).

O humilde de Espírito (Mt. 5:3) é aquele que reconhece seu estado de pobreza espiritual e, por reconhecer isso, chora (Mt. 5:4) o seu pecado e sua miséria diante de Deus. Isso o constrange a viver de forma mansa (Mt. 5:5) pois ele aprende que todos nós precisamos da mansidão daquele que foi como ovelha muda perante os seus tosquiadores por nós. De forma brilhante, Jesus junta a fome e sede de justiça (Mt. 5:6) com o fato de ser misericordioso (Mt. 5:7) pois os conceitos que podem parecer antagônicos, mas a Justiça e a Misericórdia são centrais na cruz, onde Jesus nos ensina o que é ser um verdadeiro pacificador (Mt. 5:9), pois ele trouxe reconciliação nossa com o Pai.

Mas o ponto é que quem vive esses conceitos, torna-se desagradável para o mundo, por isso mesmo que seja perseguido (Mt. 5:10), pois por causa de Jesus mentindo, dirão todo mal contra o crente, ele deve se alegrar e exultar (Mt. 5:11,12).

Ainda que algum alento possa vir pelo fato de ser chamado de sal da terra e luz do mundo (Mt. 5:13-16), Jesus expõe a lei de forma contundente, pois veio cumprir e não revogar, e essa lei seria interpretada por ele de forma correta e bem mais dura do que a apresentada pelos escribas e fariseus (Mt. 5:17-20).

Dessa forma, ele mostra que qualquer pessoa que tem ódio ou simplesmente usa a sua língua para falar mal de outra pessoa (especialmente um irmão em Cristo) merece o inferno de fogo, pois quebra o mandamento: não matarás (Mt. 5:21-26).

Mostra que também merece o inferno e para lá irá quem não se controla sexualmente, mas olha para as pessoas com intenção impura e como remédio, o radicalismo de arrancar os olhos ou as mãos se esses fazem o homem tropeçar. Apontando o dedo para a consciência das pessoas, ele enquadra a humanidade toda no sétimo mandamento: não adulterarás (Mt. 5:27-32).

Nos ensina ainda que somos mentirosos, pois nossa palavra precisa ser absolutamente incontestável: sim, sim, não, não (Mt. 5:33-37); que devemos amar de forma incondicional os nossos inimigos e nem sequer pensar em vingança (Mt. 5:38-48).

Esses preceitos são muito difíceis de ser vividos, mas são necessários se quisermos viver segundo o padrão de Jesus. O problema, entretanto, é que ainda que façamos todas essas coisas pelas motivações erradas (a única correta seria a glória de Deus); nada passará de trapos de imundícies diante de Deus, pois tudo o que o homem faz é pecado à parte de Cristo.

Veja que o padrão fica ainda mais difícil. O que importa é mais que simplesmente viver de forma pura, mas fazê-lo pela razão correta: a glória de Deus. Há quem faça o “bem” por vários motivos: ser salvo ou receber bênçãos de Deus ou ainda com o fim de ser visto pelos homens, pois é muito difícil lidar com a falta de reconhecimento; mas é exatamente essa a proposta de Cristo:
Primeiro, nada deve ser feito por reconhecimento (Mt. 6:1), nem mesmo as coisas boas, pois mesmo essas coisas se tornam nulas diante de Deus. Fazer boas obras é excelente, mas quando se recebe louros humanos delas, já se teve a recompensa e Deus não se importa com isso (Mt. 6:2-4), a mesma coisa em relação a oração e jejum (Mt. 6:5-18): existe a tendência nas pessoas de quererem parecer espirituais, mas aqui Jesus ensina que ser espiritual é viver radicalmente combatendo o pecado e fazendo o bem de forma reservada para que apenas Deus receba a glória.
Além de toda essa carga, Jesus ensina que os que seriam perseguidos por viver daquela forma, deveriam ainda ter uma confiança absoluta nele e não se preocupar sequer com as coisas básicas (como alimento e vestuário), muito menos com qualquer outra coisa. Essa lição de contentamento (Mt. 6:19-34) parece colocar muitos cristãos de hoje no banco dos réus por não buscar em primeiro lugar o Reino de Deus, mas em preocupar-se com as suas coisas pessoais.

Finalmente, Jesus ensina aos homens que eles não devem julgar os outros (ou se julgar pelos outros), mas devem julgar a si mesmos por esses padrões aqui ensinados – isso os colocaria em humilde atitude de oração diante de Deus que está pronto para ouvir o seu povo (Mt. 7:1-12).

Claro que esse caminho não é fácil, mas é o caminho necessário para o crente. Não apenas a porta é estreita (Mt. 7:13), mas é apertado o caminho que conduz para a vida (Mt. 7:14). Essa descrição do caminho estreito e largo nesses versos é o que realmente assusta, pois a grande maioria dos ‘profetas’ de hoje em dia não falam essas coisas. Seriam esses os que precisamos ter cuidado (Mt. 7:15-19)?

O fato é que essa mensagem precisa urgentemente ser pregada para que o imenso número de pessoas que acham que são crentes, mas que, na verdade, estão indo para o inferno. Elas precisam ser amadas, pois os falsos mestres apenas engordam seus bolsos e sua fama, mas ensinam que Deus aceita as pessoas do jeito que elas são. Não lhes chamam à mudança de vida e de caráter, mas elas precisam ouvir que nem todo o que diz Senhor, Senhor, entrará no Reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de Deus (Mt. 7:21).

A verdade é que as pessoas estão enganadas, e se continuarem a viver o cristianismo sem fruto, serão enganadas até a beira da porta, mas não passarão por ela; e ainda que argumentem: Senhor, em teu nome profetizamos, curamos, expelimos demônios, ouvirão explicitamente de Jesus: Nunca vos conheci, apartai-vos de mim os que praticais iniqüidade (Mt. 7:22,23).

Apesar de duro e difícil, apertado e estreito, esse é o caminho proposto para que possamos saber se somos filhos de Deus. Para que não fique dúvida nenhuma nos ouvintes, Jesus mais uma vez os conclama a que pratiquem (e não apenas ouçam) as suas palavras. Os que praticarem, não ruirão, mas os que não praticarem perecerão em ruínas grandes e infernais (Mt. 7:24-27).

Como disse, foi assustador voltar ao Sermão do Monte, pois comparei as palavras de Jesus ao modelo proposto pelo Cristianismo dos nossos dias. A proposta de Cristo é de radicalismo contra o pecado e contra nós mesmos, e sei que esse discurso não encontra guarida em corações acostumados a bajulação; por isso, peço a cada leitor que volte ao Sermão do Monte e que pare de se comparar com qualquer outra pessoa (ou grupo) para definir sua vida cristã, mas que se compare com as palavras de Cristo para que a sua justiça, em muito, possa suplantar a dos escribas e fariseus.

Diante desse sermão, as multidões observaram maravilhadas a doutrina (Mt. 7:28) puramente prática de Jesus. Esse é o Princípio Regulador da Doutrina Reformada: Doutrina Bíblica baseando a Vida Cristã. Que os homens de nossa Igreja levem a sério as Palavras de Jesus e, portanto, saibam liderar com a autoridade de quem segue os passos do Mestre (Mt. 7:29).

Que o Senhor continue a nos ensinar,
Samuel Vitalino

8 de ago de 2009

Relatório dos Campos Missionários do Piauí






(Relatório enviado por Eder, Pastor auxiliar de nossa Igreja, responsável pelos campos missionários)



Prezado Parceiro,



Sua parceria tem sido fundamental para o bom desenvolvimento dos nossos campos.



Deixe-me elencar abaixo algumas novidades do trabalho de evangelização e plantação de novas Igrejas Presbiterianas.



Na nossa Área 1 de atuação: Teresina e Região Metropolitana, temos os seguintes avanços:



1. Congregação de Todos os Santos – O Missionário e Seminarista Ivan está agora a frente dos trabalhos. Ele é oriundo de Feira de Santana e juntamente com sua esposa e três filhos tem o desafio de desenvolver esse campo, que é o mais antigo sob nossa responsabilidade.



2. Ponto de Pregação no Alto da Ressurreição – O Seminarista Josué, também locado em Todos os Santos tem desenvolvido um trabalho de evangelização nesse bairro grande, onde também não há Igreja Presbiteriana



3. Congregação de Timon – MA – Continua firme o trabalho de Michel Platiny. Esse campo necessita de oração, especialmente porque o Missionário Michel termina no final desse ano o seu curso e voltará ao seu Presbitério de origem. Que o Senhor envie para nós alguém que lhe substituirá a partir de dezembro.O Missionário, na perspectiva de estruturar uma futura Igreja Presbiteriana, tem trabalhado na formação de liderança, bom como na solidificação das doutrinas básicas de nossa fé; além de um constante trabalho de visitação que tem trazido de volta à Igreja alguns que estavam desgarrados.Os próprios membros da Congregação estão fazendo várias reformas na estrutura física do prédio, além de comprar ventiladores, bebedouros, e material necessário para a Escola Dominical.



4. Congregação em Buenos Aires – Nosso Igreja acaba de comprar o terreno onde será construída a Igreja e a casa Pastoral, na principal Avenida do Bairro. Um local que realmente é presente de Deus para os membros dessa pujante Congregação que já nasceu forte, pois têm enviado missionários, evangelizado, crescido em número, mas especialmente na Fé Bíblico-Reformada. (Em anexo a foto do terreno)



5. Congregação do Parque Jurema – O Missionário Otoniel (Prata da casa) também termina seu curso esse ano e deve ser efetivado, se o Senhor permitir, como o Pastor dessa futura Igreja. Há boas perspectivas, uma vez que mês a mês temos notícias do crescimento numérico dos irmãos, vou com certa freqüência analisar e batizar novos conversos ao Cristianismo.Uma necessidade especial de oração para essa Igreja é que ainda se reúne na casa de um irmão e precisa de um terreno ou prédio, pois o espaço (pela graça de Deus) é pequeno, não sendo poucas as vezes que precisam se reunir na rua, por falta de espaço na casa.



6. Congregação em Altos – Aqui temos uma Parceria com a Junta de Missões Nacionais e o Pr.. Hipólyto iniciou em Janeiro um trabalho de visitação e um programa de rádio. Hoje, pela graça de Deus já há um bom número de crianças na Escola Dominical e os cultos a noite iniciaram com a presença de vários visitantes.Nossa Igreja tem realizado trabalhos de avanços missionários e estamos locando em Altos, para ajudar o Pr. Hipólyto, o Missionário e Seminarista Miguel – também de Feira de Santana. Ele já tem experiência em plantação de Igrejas e tem sido imenso bálsamo e ajuda para a família do Pastor.



7. Ponto de Pregação em Nazária – Juntamente com a Igreja do Parque Piauí, temos enviado o Missionário Elano para o campo de Nazária. É o início de mais um trabalho para a oração dos irmãos.



Área 2 – Sul do Piauí



1. Campo Missionário em Amarante – O campo iniciado em Amarante terá continuidade em Janeiro de 2010, visto havermos enfrentado algumas dificuldades de adaptação do obreiro no campo. Pedimos aos irmãos que mantenham em oração, pois já há algumas famílias contatadas e que aguardam o início da IPB.



2. Congregação de Água Branca – O Missionário Itamar tem desempenhado excelente papel no evangelismo e conscientização dos membros desse campo. Mais uma Igreja que tem feito várias reformas estruturais com recursos próprios, o que alegra esse Conselho, pelo desejo de andar com as próprias pernas.



3. Ponto de Pregação em Santo Antônio, Povoado de Água Branca – A Congregação de Água Branca iniciou um trabalho de evangelização nesse povoado. Muito bom ver uma filha já produzindo para o avanço do Reino do Senhor.



4. Congregação de Barão de Grajaú – Uma outra parceria que temos com a JMN e o Pastor Miquéias Paz, juntamente com sua esposa Eliude já estão na cidade trabalhando para o desenvolvimento dessa obra.



5. Congregação de São Raimundo Nonato – O Missionário Raimundo, que no último dia 8 de julho, comemorou 70 anos de idade, tem trabalhado como um jovem dedicado e valente na obra do Senhor. A Congregação acaba de adquirir um terreno (foto 2 anexa) e já está trabalhando para dar início aos trabalhos de construção do prédio para a Igreja. Há ainda outro terreno para a construção de uma casa Pastoral.. O número de membros tem aumentado graças ao trabalho que vêm sendo desempenhado pelo casal Raimundo e Raimunda J que estão em São Raimundo Nonato.



6. Congregação em Bom Jesus – O campo de Bom Jesus está com dificuldades. A cidade é cara e difícil pela imigração de muitos colonos gaúchos por causa da plantação de soja na cidade. Aqui, precisaremos mudar o foco e enviaremos um Missionário novo, oriundo do Pará: Paulo Ricardo. Oremos para que o Senhor o use para o bom desenvolvimento dessa obra.



Área 3 – Sertão de Pernambuco (Presbitério Vale do Pajeú)



1. Congregação de Triunfo – Esses campos são em Parceria com o PRPI e com o Projeto Antioquia no Sertão (com sede no Recife). Triunfo está passando por uma fase difícil, por isso o Projeto enviou de volta para lá o plantador Pastor Genivaldo Cavalcanti Júnior.



2. Congregação do Sítio Santana – O Pr. Genivaldo e sua esposa Darcy estão revitalizando essa Congregação – já com terreno e sede construídas; onde há um grande número de crianças sendo evangelizadas.



3. Ponto de Pregação Sítio da Barra – Aos sábados, o Pr. Genivaldo ainda prega nesse Sítio, onde foram descobertas por ele algumas famílias Presbiterianas que estavam desassistidas.



- O Pr. Samuel ainda pede orações para o Projeto de uma Escola Confessional. O Conselho de nossa Igreja juntamente com outras Igrejas Presbiterianas de Teresina estão montando uma escola com possível início em 2010.



Grato,


_______



Em Cristo, Senhor e Salvador nosso,



Eder Pelosi de SouzaI Igreja Presbiteriana de Teresina