19 de abr de 2010

Vou Pescar!

O Túmulo estava aberto e vazio. Que tipo de sentimento essa realidade deveria trazer a Maria Madalena e os discípulos? Desespero porque até mesmo depois da morte de Jesus nem mesmo o corpo dele seria mais achado ou esperança por que ele poderia ter saído andando dali de dentro mesmo com a realidade da morte tão vívida na cabeça de todos?


Jesus foi bondoso com todos, pois em lugar de deixar essa dúvida pairando, ele aparece a Maria (João 20:11-18) e depois algumas vezes aos discípulos (João 20:19-29). Mas ao fazer algum tempo que ele não se manifestava e ainda antes da descida do Espírito Santo em Atos 2, os discípulos ficaram sem saber o que fazer.

Pedro, como um líder nato, resolveu chamar seis de seus companheiros para fazerem aquilo que ele sabia muito bem e que tinha por ofício. Ele disse (podemos imaginar o seu gesto tanto resoluto quanto melancólico): Vou Pescar! (João 21:3).

Os outros acompanharam o líder e, que grande decepção; toda uma noite de pesca, e eis o resultado: Sairam, entraram no barco e naquela noite nada apanharam... até o raiar do dia (João 21:3,4). O que fazer quando notamos que as nossas forças e aptidões para nada servem sem a bênção de Cristo?

Será que algum deles se lembrou das palavras de Jesus em João 15:5 Sem mim, nada podeis fazer? Nem mesmo aquilo que Pedro fazia tão bem, que era pescar, poderia ser feito sem Cristo? Chegar a essa conclusão, entretanto, é uma das maiores bênçãos da vida cristã.

Após toda noite de tristeza pela saudade de Jesus e pelo fracasso na pescaria, um homem que foi confundido com um jardineiro por Maria Madalena, com um transeunte pelos discípulos de Emaús e agora como um velho pedindo peixe na beira mar agora aparece em cena.

Ele faz com que eles admitam seu fracasso (João 21:5) para então dizer: Lançai a rede a direita. Mas que tipo de ordem seria aquela? Que bom pescador ouviria a voz de um estranho que pouco deveria saber sobre o ofício de pescar? Como que anestesioados e sem muito o que fazer eles resolvem ouvir e obedecer.

Que grande pescaria! 156 grandes peixes. Que pescaria milagrosa, pois se em Lucas 5:6 a redes se romperam, nem isso acontece aqui em João 21:11. Naquela primeira experiência as redes não mais seriam necessárias por três anos como companheiros de Jesus, mas agora, ao ser enviado o Espírito, ainda que eles precisassem pescar para sobreviver, Jesus os comclama para uma pescaria muito mais profunda, pois eles seriam pescadores de homens.

                                                        Samuel Vitalino

Um comentário:

marius disse...

Shalom Pastor Samuel!!!

http://pregaapalavra.blogspot.com/2010/04/vou-pescar.html

São 156 grandes peixes ou 153?

Jo 21:11

Deus abençoe a todos!